• Folclore 06.05.2012

    O HOMEM QUE COPO LAVA

    Poderia passar totalmente despercebido não fosse o cuidado com que tratava a todos. Com elas, até por serem mais delicadas e frágeis, fazia questão de banhá-las com todo cuidado num prazer quase lúdico. Sabia que repetiria aqueles gestos muitas vezes, embora sonhasse diariamente com o dia em que poderia desfrutá-las em vez de servi-las.

    Com eles o caso era diferente. Embora que, por dever de ofício devesse deixá-los impecáveis, tratava-os com uma quase indiferença, limitando-se ao ato protocolar de entregá-los perfeitos e não receber reclamações. Sim, porque tremia só de pensar que pudesse perder sua importante posição.

    Na sociedade de castas em que vivia estava no penúltimo degrau da escala. Nascera pobre, sem muitas oportunidades de estudar o que acabara afetando duramente sua posição social. Apesar de sua origem pra lá de humilde, aprendera desde muito cedo que cada dia é uma conquista que deve ser valorizada. Afinal, tinha boa saúde, e trazia consigo os reflexos da educação doméstica exigente que recebera onde não se fazia concessão à má qualidade. Por isso era esmerado e detalhista.

    Em dias de grandes eventos, seu trabalho aumentava muito, porque parecia que eles e elas se multiplicavam numa velocidade alucinante. Mas, sabia, que galgar uma melhor posição na vida era uma questão de tempo e paciência. Mais alguns meses em um curso que estava fazendo e sairia da função de lavador de copos e taças no restaurante e viraria um cocktail man passando a criar drinques exclusivos servidos de forma impecável.

    Natal/RN, 05 de maio de 2012

    Posted by antunios @ 02:05

    Tags: ,

  • 4 Responses

    • CLELIA says:

      Mestre Boa noite! O titulo desta sua cronica me lembrou da munha prima Assionara Sousa; ela mora em Curitiba e ja tem alguns livros publicados. Ela faz muito este desdobramento de palavras ,dando outro sentido ao termo! Curto muito esta criatividade e sagacidade de quem consegue fazer isto. E este texto nos leva a um desfecho inesperado! Gostei muito1

    • antunios says:

      Obrigado. volte sempre. Algumas daquelas histórias do domingo vão aparecer por aqui.

    • Matias Francisco Verzutti da Silva says:

      Caro Mestre Marcolino, estou de férias aqui em São Paulo e só agora tive tempo de acessar o seu blog que está muito bacana. Li algumas de suas poesias e causos bem humorados. Parabéns pelo trabalho profícuo e esmerado com que trata os mais diversos temas, dando sentido às letras, colorindo e perfumando as nossas vidas como um jardim de flores de vários matizes (ai já é com Ângela)!!! Risos.

      Na oportunidade, gostaria de divulgar o blog de um amigo que também é muito talentoso com as palavras. O endereço para acessar o seu blog é o seguinte: (http://lairzomarpoeta.blogspot.com.br/). Ele é um grande Enfermeiro na sua profissão, mas assim como você tem uma grande vocação para escrever e transmitir mensagens valorosas às pessoas. Acesse o blog dele e depois emita a sua opinião, eu também vou divulgar o seu blog para ele.

      Um abraço e continue produzindo, o resultado está muito bom.

      por Vocação Ele é enfermeiro e retrata em seus versos as muitas angústiast

    • antunios says:

      Prezado Matias. Obrigado pelos seus comentários. São um estímulo para que eu continue escrevendo. Vi o blog do seu amigo. Vou continuar visitando.

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>