• Estamos no mês de junho e justamente no São João do ano passado nasceu Júlia, neta de uma amiga nossa Vera Lucia Magalhães. Vera gosta de meus cordéis e Júlia já nasceu minha fã. Para os amigos jamais falta inspiração. Agora que Júlia vai completar seu primeiro ano de vida, nossa amiga resolveu transformar o cordel em convite. Ficou bem original e compatível com a data. Resolvi então publica-lo com meus votos de muitas felicidades e uma longa vida repleta de realizações. Parabéns Júlia.

    I

    Entre São João e São Pedro

    Júlia chegou neste mundo

    Com fogueira e foguetão

    Recebeu amor profundo

    Da mamãe e do papai

    Desde o primeiro segundo

    II

    Já chegou botando banca

    Pedindo a bença a vovó

    Vera Lucia Magalhães

    Que era um sorriso só

    Já queria ter vestido

    Pra festa de Caicó

    III

    Com três dias de nascida

    Já pediu pra passear

    Tomar um banho de praia

    Depois sair pra dançar

    Um forró bem arrochado

    Até o dia raiar

    IV

    O papai de cara feia

    Achou muito inxirimento

    Foi logo dizendo não

    Ainda não era o momento

    Ela estava nos cueiros

    Já queria movimento

    V

    Vovó Vera prometeu

    Ensinar bem direitinho

    O português, o francês

    O espanhol bem rapidinho

    Italiano e inglês

    Alemão bem de mansinho

    VI

    Com tanto ensinamento

    Nas letras vai ser doutora

    Escritora poliglota

    Poetisa e tradutora

    Romancista de renome

    E do Nobel ganhadora

    VII

    Prefere a ecologia

    Cuidar do meio ambiente

    Morar em Rio do Fogo

    Que nem é frio nem quente

    Vento gerando energia

    E a vida seguindo em frente

    VIII

    Salvar a vida do mar

    Ter lagosta e camarão

    Caranguejo bem gordinho

    Para fazer refeição

    Um bom caldinho de ostra

    Ninguém é de ferro não

    IX

    Mas tudo muito certinho

    Dentro das regras do jogo

    Conservar o paraíso

    Que existe em Rio do fogo

    A qualidade de vida

    Essencial para o povo

    X

    Vai lembrar de Marcolino

    O poeta de cordel

    Que escreveu estes versos

    Olhando o azul de céu

    Quando você batizou-se

    Toda de branco e de véu.

    Posted by antunios @ 00:52

    Tags: , , , ,

  • Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>